Conteúdo não disponível

Desculpe, este conteúdo não está disponível em seu país, mas temos muitos outros para você aqui

A relação entre a comida e as emoções

Nutrição e Dietas
A relação entre a comida e as emoções
Nutrição e Dietas
A relação entre a comida e as emoções
Thinkstock
Embora a relação entre a comida e as emoções seja amplamente discutida, podemos defini-la como uma associação bidirecional. Os alimentos que você consome afetam as emoções e o comportamento, e estes afetam sua relação com a comida.

Certas dietas e alimentos podem aliviar a depressão e melhorar o humor a longo prazo. A cada dia, um número crescente de pesquisas confirma que a dieta influencia os estados de ânimo. As mudanças nos padrões de alimentação e no consumo de calorias podem produzir alterações químicas e fisiológicas no cérebro, associadas a mudanças de comportamento. 

Por sua vez, as emoções e comportamentos afetam as decisões nutricionais, como a quantidade e o tipo de alimento. Por exemplo, uma pessoa com depressão pode ter falta de apetite e pular refeições, o que aumenta a ansiedade e a irritabilidade.

Da mesma forma, certos alimentos afetam nossas emoções e comportamento. Por exemplo, a cafeína induz a um estado de alerta e dificulta o sono. O consumo excessivo provoca insônia, o que pode aumentar a ansiedade e levar a pessoa a comer para aliviar o mal estar. 

Emoções como tristeza e solidão podem estimular o consumo de alimentos reconfortantes, associados a uma sensação positiva.

Brigar com o namorado e tomar um sorvete de chocolate em vez de solucionar o conflito, por exemplo, é uma forma de compensação emocional. Comer quando estamos tristes, deprimidos ou insatisfeitos proporciona uma sensação passageira de bem-estar, mas não resolve o verdadeiro problema: o sofrimento interno.

Para alimentar seu corpo e suas emoções de forma saudável, comece respeitando os horários. Pular refeições aumenta a ansiedade e a irritabilidade, deixando você mais vulnerável a comer demais fora de hora. O café da manhã costuma ser negligenciado, mas é uma refeição fundamental para o bem-estar emocional. Um desjejum rico em proteínas, por exemplo, alivia as oscilações de humor.

Adote uma alimentação balanceada. As três refeições diárias devem contar porções moderadas de proteínas, frutas, verduras, grãos integrais e derivados do leite. Prepare um ou dois lanches saudáveis para consumir entre as refeições, e não esqueça de consumir ômega 3 para manter a mente sempre revigorada e ágil. A combinação de uma dieta balanceada com exercícios regulares e sono de qualidade é fundamental para alcançar o equilíbrio emocional.

Comentários Ver mais comentários